canto_bus	ca_dir
canto_busca
canto_busca_dir
canto_busca
  • Twitter
  • Orkut
  • Facebook

23 de Maio de 2012

Conselho de Direitos Humanos do DF e Erika Kokay representam contra "Pânico na TV"

Nesta quinta-feira (24), às 16h30, o subprocurador-Geral da República, Aurélio Virgílio Veiga Rios, receberá na sede do Ministério Público Federal (MPF), representantes do Conselho Distrital de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos e a vice-presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, deputada Erika Kokay (PT-DF).

Na ocasião, será apresentada uma representação ao MPF, para que este, no uso de suas atribuições constitucionais, instaure inquérito civil público para averiguação de conduta de omissão em face de violação dos direitos humanos advindos dos quadros “ACADEMIA DAS PANICATS” e “MAIOR ARREGÃO DO MUNDO”, entre outros, do programa “Pânico na TV”, da Rede Bandeirantes de Televisão - BAND.

 

Para o presidente do Conselho de Direitos Humanos, Michel Platini, e para a deputada federal Erika Kokay (PT-DF), os quadro citados afrontam à dignidade da pessoa humana, na medida em que expõem as dançarinas, bem como os demais funcionários da emissora, a trotes, constrangimentos, torturas, mutilação e outros gestos vexatórios.

 

“Os trotes agressivos e desumanos não foram poucos, inclusive a “panicat” Babi teve seus cabelos raspados ao vivo. No programa do dia 6 de maio, uma bailarina foi submetida a sessões de choques enquanto simulava a gravação de um comercial, outra comia uma pimenta japonesa, mesmo sendo alérgica a pimenta, e outra ainda teve pó de mico em seu sutiã. Já no programa do dia 20 de maio, o funcionário Daniel teve que segurar um prego enquanto o outro participante denominado de Rabin tentava bater com o martelo. A prova foi interrompida em diversos momentos, quando Daniel reclamava de dor. No mesmo quadro o funcionário Alfinete foi escolhido para fazer a barba no interior de um carro pulando, e o resultado não poderia ser outro, se não o funcionário com o rosto todo cortado e sangrando” aponta a representação do Conselho.   

 

Neste sentido, a representação, baseada nos artigos 127 a 129 da Constituição Federal, pedirá que os referidos quadros sejam retirados do ar e, que no horário da apresentação dos mesmos, sejam exibidos vídeos educativos com a finalidade de combater todas as formas de trote, divulgando uma cultura de paz, que enfrente a discriminação e combata assim a exposição vexatória das mulheres.

 



Voltar

     

Michel Platini - Telefone: (61) 8141-3113 (Operadora Oi)
E-mail: michelplatini@michelplatini.com.br